Lacen recebe dois novos extratores e aumenta a capacidade de realização de testes

Com os novos aparelhos, a capacidade vai aumentar para dois mil testes por dia.
créditos: pi.gov.br

 

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) adquiriu, para o Laboratório Central de Saúde Pública Dr. Costa Alvarenga (Lacen), mais dois novos extratores automáticos de RNA/DNA, que vai aumentar a capacidade técnica de exames da Covid-19, pela técnica RT-PCR.

“Buscamos a cada dia investir na capacidade do nosso laboratório central, e, assim, oferecer um serviço mais célere para aqueles que estão com a suspeita da doença”, destaca o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto.

O laboratório realiza em média de 800 a 1.000 exames por dia. Com os novos aparelhos, a capacidade vai aumentar para 2.000, como explica a diretora do Lacen-PI, Walterlene de Carvalho.

“Esses aparelhos, de tecnologia de ponta, vão ajudar a dobrar nossa capacidade de exames ao dia, e, no decorrer do processo, podemos ainda triplicar esse quantitativo. O Lacen vem trabalhando incansavelmente, desde o início da pandemia, para agilizar o diagnóstico à população piauiense”, destacou a gestora.

O tempo de entrega dos exames realizados para o diagnóstico do novo coronavírus é de 48 horas, mas devido ao aumento do número de testes, neste início de ano, o prazo foi estendido para 72 horas. O laboratório funciona 24 horas, sete dias por semana.

“Nós estamos pedindo até 72 horas, haja vista que a demanda de testagens aumentou. E como somos o único laboratório público do estado que realiza esse exame, tivemos que prolongar essa entrega. E também há fatores externos que atrapalham, como falta de energia, internet cair, entre outros”, ressalta a diretora.

Na unidade, são realizados os testes de RT-PCR, que têm como objetivo diagnosticar a doença por meio da detecção do material genético do novo coronavírus na amostra examinada, ele é classificado como padrão ouro na detecção do vírus.

“A análise de biologia molecular é considerada padrão ouro por identificar a presença do SARS-CoV-2, vírus causador da Covid-19, em amostras de secreções das vias respiratórias (do nariz e garganta) dos casos suspeitos. Assim que chegam ao laboratório, essas amostras passam por diferentes estágios de preparação e extração do material genético das moléculas (RNA) até chegar à etapa final do processo”, explica Waterlene de Carvalho.

O Laboratório Central de Saúde Pública do Piauí também realiza o teste sorológico de anticorpos para Covid-19 por quimioluminescência, metodologia que possui sensibilidade e especificidade maior do que o teste rápido. O exame, feito por meio de amostras de sangue, detecta a presença de anticorpos IgM e IgG, formando um perfil sorológico para saber se a pessoa testada já esteve em contato com o vírus ou não.

 


 


COLUNISTA
Eudes Martins
COMPARTILHE O LINK DA MATÉRIA