Visualizações: 47


Profetas da Chuva compartilham experiências em Intercâmbio Estadual

Foi um encontro entre o conhecimento científico e a sabedoria popular
créditos: Matões FM

 Já conhecidos na região de Pedro II pelas suas previsões sobre o período das chuvas, o chamado inverno, dois dos profetas da Chuva estiveram presentes num intercâmbio estadual realizado na Ecoescola Thomas a Kempis nos dias 24 e 25 de maio, evento que reuniu quase 70 pessoas entre professores, monitores, diretores/as e secretárias/os das regiões norte e centro sul do Piauí

Os profetas Antonio Zeferino da comunidade Cabral e José Ferreira da comunidade Vale do São Francisco, região de Pedro II foram convidados para proferirem uma palestra onde falaram sobre os sinais da natureza que eles costuma observar, disseram de onde herdaram esse dom e porque até hoje mantém viva essa tradição de buscar compreender as leituras que a natureza descreve sobre as chuvas.

Por vários momentos os profetas da Chuva citaram a necessidade da população preservar a Natureza e sua diversidade. Seu Antonio Zeferino lembrou o grande mal que os agrotóxicos fazem na agricultora e que essa prática só tem aumentado nos últimos anos até mesmo nas comunidades onde trabalha o agricultor familiar. Seu José Ferreira também lembrou durante sua fala sobre a semente nativa, do quanto o agricultor precisa estar atento para preservar as sementes criolas passada de geração para geração, hoje ameaçada pelas sementes hibridas, ou sementes adulteradas.
Após a explanação dos profetas, ficou aberto o espaço para perguntas e observações dos participantes. As perguntas mais frequentes do publico estavam no campo dos sinais da natureza, como melhor entender o gesto do pássaro, das plantas e dos ventos. Temas aprofundados pelos profetas, após uma sessão de três perguntas. Para Adeodata dos Anjos, coordenadora da mesa de palestra no evento, este é um espaço importante, pois o conhecimento cientifico se encontra com a sabedoria popular, onde os dois lados tem algo incomum, suas raízes e hábitos culturais.
 


COLUNISTA
Neto Santos
COMPARTILHE O LINK DA MATÉRIA